Engenharia da Computação?

http://www.secom.ba.gov.br/modules/destaques/uploads/1492024547RIACHAOJACUIPE728x90pxcopy.jpg

Engenharia da Computação?

A imagem que um estudante de engenharia da computação faz de si mesmo, bem como a que as pessoas usualmente fazem dele, é a de um expert em algoritmos. E, portanto, também em todo o ferramental técnico e teórico para lidar com eles.

Claro que todo esse arcabouço científico é fundamental para o aluno. Mas é necessário ter em mente que a Universidade busca formar não só um cientista, mas também um engenheiro. O objetivo não é que o estudante torne-se um “expert” em programação. Embora evidentemente estas possibilidades não estejam excluídas, o que se oferece ao estudante é torná-lo um cientista. E, como cientista, é necessário se conhecer ao máximo – respeitado o limite de espaço dos anos de graduação- as ferramentas da Ciência.

Se seguir uma carreira como pesquisador (Cientista da Computação ou Engenharia da Computação), provavelmente tirará proveito do cálculo e da álgebra. E ainda precisará estudar mais. Em Banco de Dados, em Inteligência Artificial, em Engenharia de Software, em Redes de Computadores (Sistemas Distribuídos), ou em qualquer outra área. Há um grande arcabouço matemático que permite se modelar e se estudar cada uma dessas disciplinas. Como pesquisador, é necessário conhecer a fundo o seu objeto de estudo e, para isso, há que se entender os modelos.

Modelagem computacional é uma área de conhecimento multidisciplinar que trata da aplicação de modelos matemáticos e técnicas da computação à análise, compreensão e estudo da fenomenologia de problemas complexos em áreas tão abrangentes quanto as engenharias, ciências exatas, biológicas, humanas, economia e ciências ambientais. Sendo assim, são inúmeras as possibilidades para quem estuda ou se desenvolve na área de computação.

– Yasmim Thasla, competidora de robótica, graduanda em Engenharia da Computação e entusiasta de novas tecnologias.

Deixe uma resposta