2°Encontro de Evangélicos e Evangelicas do PT BA

Ainda existe um “curral eleitoral” muito forte no Brasil. Antigamente, no tempo dos coronéis, este curral se estabelecia por bens materiais como materiais de construção, ferramentas, alimentos para pessoas e animais. Felizmente, a partir de 2002, com a Eleição do Presidente Lula, a realidade política do Brasil, aos poucos foi sendo mudada, e chegamos em 2010 com um Brasil diferente, não mais o Brasil de terceiro mundo, mais um país emergente visto com respeito e preocupação pelas principais potencias mundiais, que inclusive vieram até aqui para copiar modelos de políticas públicas, como o próprio SUS.
Passamos de um país que convivia com o horror da fome, principalmente no Nordeste, para um país de jovens e crianças com sorriso no rosto e barriga cheia. Porém, uma parte da sociedade brasileira, que se considera “Elite”, do atraso, evidentemente, segundo Jessé Souza, trabalhou incansavelmente, por 15 anos, para retroagir o Brasil ao país da fome, da vergonha e de pobres na miséria.

Reconstruindo a impossibilidade de fisgar o eleitor pela boca, está elite escravocrata mudou sua estratégia, e viu na religião, principalmente a Evangélica, em que seus líderes, na sua grande maioria construíram, desde sempre, fortunas e impérios inspirados no rei Salomão da Bíblia, figura representativa do Velho Testamento, demonstrando o quanto estão distantes dos exemplos de Jesus, estes líderes erguem Templos de ouro e pedras as custas de um povo, que vinha deixando de morrer de fome, e passando a ser inserido na sociedade do consumo, atraindo a atenção de vários investidores ao redor do mundo.

Porém, estes líderes religiosos passaram a ser, os Novos barões do Brasil. Os Barões da a fé.

Com o discurso da teologia da prosperidade estas lideranças viram seus patrimônios pessoais crescerem à medida que o poder de consumo dos fiéis aumentava, templos religiosos que se iniciará em uma funerária em uma rua do Rio de Janeiro, de repente passa a ocupar ruas como a Celso Garcia, em uma ascendência apoteótica vendida aos fiéis como “o milagre da prosperidade”.

Neste momento, o povo Brasileiro já não mais se preocupava com a fome, moradia, sol ou chuva, mas, diante da ideologia de “O povo escolhido por Deus para fazer a diferença” passam a seguir e acreditar cegamente em notícias falsas ou Fake News, como mamadeira de piroca, Kit gay, fechamento de Igrejas, ideologia de gênero e outras “profecias” mas, esta postura ingênua de desatino espiritual fez com que, o voto de cabresto voltasse a vigorar no Brasil. Agora, não mais por comida, bens materiais, ou ferramentas, mas em nome de uma moralidade, que a maioria dos pregadores, que se diziam moralistas, não tinham para servir de exemplo aos fiéis.

Mas, diante de uma massa fanática e com pouco conhecimento de exegese bíblica, passam a fazer gesto de arminha dentro dos templos e repetir um discurso bíblico sem contexto acreditando que conhecendo a verdade dos líderes religiosos ou de “homens de muitos bens, estariam livrando o Brasil do Comunismo, ou do Socialismo, que segundo esses mesmos lideres é algo abominável ao olhos de Deus.

Diante deste contexto, em outubro de 2018, os evangélicos, parte considerada da massa popular de eleitores foram as urnas, alguns antes, outros depois do culto, e convictos de estarem prestando um culto a Deus apertaram com convicção, uma dezena que resultaria em milhões de mortes, seja por aumento dos crimes por armas de fogo, após a flexibilização de sua aquisição pelo atual governo, ou pela Pandemia, que não teve as devidas medidas adotadas pelo atual governo, como a compra de vacinas ou medidas de isolamentos adequadas, bem como, pela destruição da floresta amazônica e das terras indígenas consumida pelo fogo, com o fósforo da fala do presidente incentivando as queimadas, e agora com a fome, que dizimará milhares de brasileiros nós próximos dias, caso a sociedade não se manifeste contra a entrega do Brasil aos colonizadores estrangeiros, como está sendo feito, onde o ministro da economia do Brasil, e o presidente da principal instituição bancária oficial retiram seus milhões de dólares do Brasil, e colocam em paraísos fiscais, enquanto o povo disputa lixo nos lixões do país.

Para contrapor a está NOVA modalidade de Cabresto no Brasil, o Núcleo de Evangélicas e Evangélicos do PT (NEPT BA) realizou no último dia 23, o II Encontro Estadual, que contou com a participação de diversas figuras políticas do Partido dos Trabalhadores, como A Coordenadora Nacional do NEPT BR, a Deputada Federal pelo RJ, Benedita da Silva, o Senador Jaques Wangner/BA, o deputado Estadual/BA Jacó Lula da Silva, e diversas outras lideranças religiosas, e da militância política na Bahia.

O encontro foi Coordenado pela Coordenação do NEPT BA, e foi realizado de forma virtual pela plataforma Zoom.