Bike Salvador contabiliza quase 440 mil usuários em quase dez anos

Fotos: Bruno Concha/Secom 

 

Mesmo com o fim das férias, a orla de Salvador continua movimentada com os praticantes de atividade física. Muitos destes têm optado pela bicicleta para se exercitar, como foi observado na manhã da quarta-feira (1º), na região do Jardim de Alah, onde em uma das estações do Bike Salvador restou apenas uma bicicleta para retirada.

 

A iniciativa faz parte do Movimento Salvador Vai de Bike (MSVB), da Prefeitura, que engloba um conjunto de ações integradas de incentivo ao uso da bicicleta na capital. A ideia é a de melhorar a mobilidade urbana e a qualidade de vida na cidade.

 

O projeto, criado em setembro de 2013, vem promovendo iniciativas para incentivar o uso da bicicleta. Através do MSVB, a prefeitura licitou o sistema de bicicletas compartilhadas, alcançando cerca de 440 mil usuários cadastrados.

 

Número de viagens – Em dezembro de 2022, a iniciativa chegou a quase cinco milhões de viagens acumuladas desde o seu lançamento. Segundo Liana Oliva, coordenadora do MSVB, nota-se um crescimento de 130% ao comparar o mês de julho de 2020 e julho de 2022.

Quando comparado ao número de viagens realizadas entre os meses de abril/2020 (18.854 viagens) e de abril/2021 (88.897 viagens), houve um acréscimo de 372%. Já em 2022, usando o mesmo mês de abril como referência (92.962 viagens), comparando-se o uso em 2020 e nos anos de 2022, foi percebido um aumento de 393% de utilização mensal. Em 2022 foram 1.219.792 viagens realizadas e, somente no mês de janeiro de 2023, foram 117.838 viagens de bicicleta pela cidade.

 

Benefícios – O jornalista Gabriel Freire, de 38 anos, é morador da Pituba e costuma usar a bicicleta desde 2020, para variar o exercício, alternando com caminhadas. “Eu acho que é importante ter esse benefício. Para alguns trechos, é extremamente útil e funcional, vejo muita gente usando também para lazer, e cria mais uma possibilidade de transporte dentro da cidade”.

 

O analista Rafael Costa, de 32 anos, mora em Mata Escura e, há dois anos, usa as bicicletas para atividade física. Ele conta que sai de carro do bairro em que reside até a orla, onde retira a bike para pedalar. “Acho importante. Para quem não tem condições de comprar, ter essa possibilidade é muito bom. Uso três vezes na semana, normalmente venho com amigos, e acho um serviço excelente”.

A massoterapeuta Sandra Abreu, de 48 anos, mora próximo ao Centro de Convenções e usa o Bike Salvador quatro vezes ao dia, há um ano. Ela, que trabalha na área dos coqueirais do Jardim de Alah há 14 anos, possuía uma bicicleta própria, mas com o desgaste, optou por utilizar as laranjinhas. “Eu pego para vir, vou almoçar, volto para cá, e depois de novo para casa. Acho interessante porque, além do exercício, o gasto é menor. Além disso, senti uma melhoria grande na minha qualidade de vida”.

 

Acesso – Para ter acesso às “laranjinhas”, basta baixar o aplicativo do Bike Itaú e criar uma conta. A ferramenta disponibiliza informações sobre os locais das estações, quantidade de bicicletas e planos para utilização do serviço. Nas estações, o desbloqueio da bike é feito também através do app. São disponibilizadas 400 bikes em 50 estações, que podem ser consultadas também através do site www. salvadorvaidebike. salvador. ba. gov. br/ bike-salvador .